12 de jun de 2011

MEDINHO

Quem tem medo da menina solitária?
A morte é a única esperança que ainda possui, melhor não gastá-la agora
A insignificância é quase um assassinato, só não é porque não nasceu
A distancia entre um homem e seu limite denomina-se ousadia
Satisfação não é uma questão de descobrir o que se possui mas de não descobrir o que falta
O dia que me entendi, acabaram-se as surpresas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva