4 de mai de 2011

SONHOS DE SONO


É hora de quebrar a boneca de porcelana
Martelar o cofrinho e gastar todas as moedas em apostas
Essa era desse e essa agora não é de nenhum
Não tem tudo que quer, mas a menina não faz mais pedido
Se corre é só para emagrecer, não para chegar, não esta indo a nenhum lugar
Não adianta ser mimada, a vida dividiu com outras o que nem era dela
Percebeu que a vida é séria quando viu as contas chegando por debaixo da porta
Percebeu que a vida é solitária quando esticou seu braço sobre o outro lado da cama
Pensam que comemora mais um ano que viveu, talvez sua festa seja ter sobrado um ano a menos para sobreviver
Cansada a ponto de querer sonhar que esta dormindo
Tão bem a ponto de escrever assim mesmo estando tão bem
Descobriu que possui reservatórios, a circulação diminuiu
Não mais mistura grossa ou rala, encontrou agilidade para o preparo de coqueteis elaborados, teor proibido para menores de mais de dezoito anos
Cortaram as asas do anjo, voos só no tapete mágico ou na vassoura da bruxa
Apagaram as velas do altar, não foi o vento, não foi o sopro
Mistério de não criar mais mistério

Um comentário:

  1. BELO POST!!!
    MINHA MÃE TINHA, E AINDA TEM (EU ACHO), VARIAS BONECAS DESSAS DAI DA FOTO, E ATÉ OUTRAS DE PORCELANA QUE PARECEM MUITO REAIS...

    ABRÇS
    BRUNO JP TEIXEIRA
    O PORTUGA

    ResponderExcluir

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva