9 de jan de 2011

FRAGMENTOS DESTRUTIVOS

Se tivesse certeza que ao morrer iria para o céu, preferia, pois as nuvens parecem mais confortáveis que o solo.

Para quem não ama a vida o suicídio é o divórcio.

Na viagem da vida não da para pedir para descer, não tem para onde voltar.

Para quem não encontra o sucesso, sobra a inveja alheia, pois não importa quanto medíocre ou fracassado você seja sempre vai existir alguém mais feio, mais pobre, mais ignorante, com menos saúde e com mais problemas que você para lhe invejar.

A solidão não provoca infelicidade, é que as companhias nos distraem o suficiente para não percebermos o quanto somos infelizes.

O maior pânico causado pela morte é a consciência da nossa insignificancia ao saber que a vida dos outros vai continuar.

O sono é uma necessidade do corpo que quer descansar e uma salvação da alma que quer parar de chorar.

A vida é um paraíso, que as vezes enjoa de tão repetitivo.

Tem dias que estamos aqui mas ninguém nota, tem dias que estamos aqui e nem nós notamos.

Há dias em que temos bondade para agradecer
em outros maldade para reclamar
Há dias em que temos força para construir
em outros fúria para destruir
Há dias em que temos esperança para esperar
em outros desanimo para desistir
Há dias em que temos coragem para arriscar
em outros covardia para fugir
Esse é o problema, temos de viver todos os dias.









Um comentário:

  1. Oi Fernanda. Bom dia!
    Desejo a vc uma ótima semana.
    Bonito seu poema, uma escrita especial.

    Abrçs.
    Bruno JP Teixeira - O Portuga
    ============================
    http://brunojpteixeira.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva