13 de set de 2012

TRAÇOS


Porque o destino me deu olhos verdes, se eu não consigo arrancar deles a cor da esperança e pincelar nos meus dias cinzentos

O  amor concede a paciência, eu contaria fio a fio de seu cabelo, e recomeçaria toda vez que perdesse a conta

Com você eu marco encontro em minhas contradições
Esqueço os ensaios feitos no pensamento, e erro todas as atitudes
Reviro minhas mascaras em busca de um disfarce mas esqueço de inanimar o corpo
Sobre você conto mentiras ao meu diário, para salvar ao menos o nosso futuro








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva