16 de abr de 2012

DESCARRILHADA

Eu não nasci escritora, não sou escritora, mas vou morrer escritora
As coisas importantes da vida são as que eu carregar ate a morte, pois o resto, por mais que tenha tido significado, foi deixado para traz
De que me serve um estoque de lembranças para revirar, tenho alergia de sorrisos empoeirados
A vida é um baile a fantasia, ninguém sabe quem é a intenção por traz da mascara da atitude, sorte de quem dança com a vassoura, pois vassoura não usa mascara
Tenho objetivos e não sentido, por isso me escondo entre os vivos
Nosso corpo é a mais perfeita camuflagem, os cabelos enfeitam os pensamentos, os rios azuis escondem a fúria do sangue vermelho, os olhos foram colados do lado de fora
Só alcança um grande sonho aquele que foi acordado de seu sonho pequeno








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva