14 de ago de 2011

TODOS OS DIAS

Dizem que hoje é o dia dos pais, na verdade para mim o dia do meu pai não foi hoje, o dia do meu pai foi o dia em que ele me ensinou a ver as estrelas com a luneta, foi o dia em que ele me ensinou a lei da gravidade ao girar o balde de pregadores de minha mãe me explicando porque nenhum pregador caia ao chão, foram todos os dias em que ele me esperou no ponto de ônibus quando eu estudava a noite, foram todos os dias em que ele pegou o dinheiro que tinha para pagar uma conta e me deu para eu ir ao cinema ou tomar um sorvete, foram todos os dias em que eu deitei a cabeça em seu colo e ele enrolou meus cabelos com os dedos. Não é necessário existir um dia para que eu me lembre de amar meu pai, pois amá-lo é algo que eu nunca esqueço. 


"Eles não gastavam balas com as criancinhas, eles esmagavam suas cabeças nas pedras" (relato de uma judia sobrevivente do holocausto). Seis milhões de judeus morreram, muitos eram  pais que viram seus filhos serem executados sem terem a menor chance de serem heróis e salvá-los, muitos eram pais desesperados, que imploraram por suas vidas chorando feito criança, humilhados diante de seus filhos. Lembrei-me desses pais agora e pensando neles me esqueci porque estava tão triste hoje.
Que sejamos felizes, se não for pelo fato de  termos encontrado a felicidade,  que seja por não termos  nos deparado com grandes tragédias.

Um comentário:

  1. Que texto lindo. Sorri ao lê-lo. É, você conseguiu fazer alguém sorrir lendo seus textos. É um reflexo.

    Beijo.

    ResponderExcluir

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva