18 de mar de 2011

ROSAS AMARELAS

Que vai todo mundo para o inferno, em breve encontro vocês lá
Cansei de realizar a fotossintese de sentimento, que o ar do mundo contente
Não confio mais na lei da colheita, minhas sementes de amor geraram flores de silêncio e solidão
Somos parte boa, parte má, os verdadeiros bons são os maus, pois se só sobrou ser mau é porque já se gastou todo o ser bom, quem ainda tem parte boa é porque não a usou toda, então foi parcialmente bom
Nascemos inocentes, vivemos culpados e morremos absolvidos
Em que coloco a culpa
Nas minhas sementes de amor,
Na desesperança que usei para regar 
ou no terreno que escolhi para plantar
A culpa foi da estação que não era propicia para flores de amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva