4 de nov de 2010

LÁPIS

Não há linhas escritas que a borracha do tempo não apague, quando as mesmas linhas permanecem não é porque o tempo não as apagou mas sim nossas teimosas mãos que já as decoraram e insistem em reescreve-las todos os dias.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva