31 de out de 2010

POESIA SUICIDA

A escrita permitiu que a Clara emergisse e guiasse minha vida, primeiro ela inventou um amor para ela, mas depois descobriu que ele não existia, após esse fracasso ela resolveu se apaixonar pelo mesmo homem que eu e ainda arriscou o que já estava decidido a não ser arriscado, no fim ela só conquistou a mim mesma.
A poesia faz com que eu enforque todas as possibilidades que a vida possa me trazer.
A poesia faz com que eu atire o meu tempo no abismo desperdiçando todo ele em uma queda cega e silenciosa.
A poesia faz com que eu afogue meu olhar no mar perdendo a consciência de tudo que esta a minha volta.
A poesia faz com que eu me envenene da ilusão de crer que alguém além de mim compartilha esses sonhos comigo
 Agora eu entendo que a poesia é apenas a minha forma de morrer e que ninguém quer mesmo morrer junto comigo, então parei de esperar companhia para essa morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva