7 de fev de 2015

ANÔNIMO

Hoje era pra ser uma noite muito especial
Mas ela será como todas as outras, ela sem par
Aprendeu com tudo isso a valorizar o silencio, não quer sua imagem em fotografias, suas emoções em status, suas respostas em indiretas
Percebeu que não faz diferença se o seu sofá é vermelho, se o copo é grande ou pequeno ou se a comida esta enfeitada
Lastimo sua partida, ela foi a melhor pessoa que eu conheci, era tão intensa, cheia de sonhos, fazia de uma quarta-feira um sábado, fazia de uma 00:00 um motivo para comemorar, tinha a compreensão como sua maior virtude, refutava todos os dias o destino deixando claro que não era tentativa, era acerto. Ela era uma pessoa diferente, dessas que a gente não vai achar outra na vida, seu fanatismo e intensidade com tudo era engraçado e ate irritante as vezes, as pessoas gostavam dela logo de cara, diziam que ela era especial, justa e que tinha um enorme coração, nunca entendi porque mesmo assim ela passava o maior tempo da sua vida sozinha.
O amor não existe, finalmente ela concordou
Começou despersonalizando sua casa, as coisas não estão mais vibrantes e vermelhas como antes, terminou despersonalizando o coração. Agora ela cresceu, envelheceu, morreu, é igual todo mundo no mundo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva