27 de jan de 2015

Sentada no chão da sala eu posso ver a lua
Sabe, eu queria ve-la sobre o céu do acampamento
Sobre o gramado do estádio
Pela janelinha do avião
Queria tanto ter voltado na sua presença  a esses lugares onde fui feliz sozinha  para descobrir que eu nem sabia o que era felicidade
Mas talvez meu sentimento esteja mesmo fora de época, deve ser outono e não primavera
O despertador vai dizer-me "bom dia" ao despertar
E a lampada "até amanha" ao se apagar, não há o que temer
Que a vida tenha menos quartas-feiras, menos cerveja, menos esfirra e menos saudade


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva