29 de jan de 2014

A MENINA DE ROSA

Não quis vestir a fragilidade feminina, então escolheu usar rosa, era a maneira mais fácil de ser mulher  
Menina de rosa que nem gosta de rosa
Tanto mel selaram seus lábios, quem se aproxima é atacado por abelhas
Percorre dias para encontrar um oásis no deserto de seus olhos
Não convida ninguém a morar em seu coração, é espaçosa, se alguém entrar coração fica apertado
Adicionar legenda
Não quer  tornar os momentos pequenos, só para que caibam nas caixas da memória
Para ela lembranças não são vidas, são mortes
Se sobreviveu a certeza da morte, porque fugir dos riscos da vida
Não deseja a força de persistir mas a inteligência de desistir, pois a rapidez em recomeçar pode derterminar a próxima vitória
Quer descobrir o que não quer, fazendo os descartes certos também se ganha o jogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva