20 de fev de 2011

VIRGEM

A vida é duas, a vivida e a imaginada
As vezes os personagens gemeos se encontram sem querer e duelam, o imaginado acaba destruido
Hoje amanheci sangrando, nenhuma novidade para mim pois isso acontece todo mes, mas talvez dessa vez esteja escorrendo mais do que sangue

Um comentário:

  1. O sangue da Clara manchou suas próprias páginas. Alguém conseguiria ler tamanho vermelho carmesim? Nem mesmo o detentor do seu sangue, aquele que a feriu com o nada.

    O nada sempre existiu. Mas ele a deu de presente repetitivamente. E o nada previsivelmente aconteceu. Como a água salgada envolve as areias do mar, ele chegou e a notícia foi a mesma: o nada emudeceu.

    Que o nosso silêncio seja a terra que cobre o rosto da virgem que jaz à própria sombra. Nem a morte pra ela existe. A morte é uma espécie de ressurreição.

    "Morri pra viver. E acabei ressuscitando."

    ... dentro da mesma morte.

    ResponderExcluir

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva