2 de fev de 2011

ENSAIOS DO CORAÇÃO

Ensaio cenas no cubículo infinito do meu pensamento
sou palco, artista e plateia
sinto falta de aplausos
perfeccionista no amor, não improviso, sigo a risca o que decorei
cada fala, cada silêncio
sincronizo cada segundo do beijo
detalho cada movimento do sorriso
o ingresso é o meu tempo, estou ficando mais pobre a cada dia
não almejo sucesso, não crio polêmica
liberdade possuo
com melancolia, sem dor
solitários ensaios do meu coração
fecho as cortinas para ninguém
é só nosso esse espetáculo

Um comentário:

  1. Fernanda, tudo o que vocês escreve soa como melodia nos meus ouvidos.

    Parabéns!!
    Não perco um post.

    Abrçs.
    Bruno JP Teixeira - O Portuga
    http://brunojpteixeira.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva