21 de jan de 2011

POUQUINHA



Hoje estou tão pouca que não me quero.
Minha desesperança não é sentir que ainda estou distante dele mas é perceber que ele nem esta lá no fim da minha distância.
Em meio a tantas tragédias que assisto na TV considero injusto chorar sendo que minha única tragédia é não conseguir ser feliz no paraíso, desligo a TV ou me desligo.
Meu amor é um presente lindo, mas não tenho a quem entregar, rabisquei o nome no presente e não na embalagem.
Chega de mim, vou dormir, quem sabe no sonho eu seja outra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Permita um fragmento seu escorrer até suas mãos e então escreva